FIM da Renovação do CAP de Formador

 

Vídeo: Como aceder ao CCP de Formador (ex CAP) na 2ª versão do Netforce do IEFP?

 

 

Vídeo: pretende clarificar algumas dúvidas que ainda subsistem em relação ao ex-CAP de Formador, atualmente designado de CCP (Certificado de Competências Pedagógicas)

 

 

Síntese das informações:

1. O ex-CAP- atual CCP- é vitalício e não carece de revalidação de acordo com a legislação atual.

 

2. Quem tem o ex-CAP poderá aceder ao novo CCP se estiver registado no portal NETFORCE na sua área pessoal na opção “Certificados”. Não paga nada por isso! é um documento em formato digital, nem precisa de pedir, porque é automático.

 

3. O registo no Netforce é fundamental para quem é formador.

 

4. O fim do período transitório para a obtenção do CCP refere-se aos colegas que frequentaram os cursos de formação, concluídos com aproveitamento antes de 30 de junho de 2012 e que nunca chegaram a solicitar (e pagar) o CAP de Formador.

 

 

A Portaria n.º 994/2010 de 29 de Setembro,que termina com a renovação do CAP de Formador. Segundo a Portaria, "consideram-se emitidos sem dependência de qualquer período de validade, não carecendo de ser objecto de renovação". Justifica ainda, que "a necessidade de renovação periódica dos certificados de aptidão pedagógica dos formadores, para além de gerar constrangimentos ao nível do desenvolvimento da dinâmica da formação profissional, também não se compadece com o actual quadro jurídico da formação profissional.

Quadros de Qualificações na Europa

Nota Informativa do CEDEFOP (janeiro de 2016)

quadrosqualificacao

Por toda a Europa, os quadros de qualificações estão a atingir a sua fase de maturação: após um período de
desenvolvimento inicial e adoção formal, estão agora a tornar-se plenamente operacionais. Ao promoverem o
princípio dos resultados da aprendizagem, os quadros de qualificações estão, em certos países, a evoluir de um instrumento descritivo dos sistemas de qualificações para um recurso de reforma e modernização dos
mesmos. Ver documento completo

Recibos Verdes: Como Preencher em 5 Passos

Como trabalhador independente deve dar inicío de atividade nas Finanças em qualquer balcão, loja do cidadão ou no do Portal das Finanças. Se preferir a última opção, deve seguir os seguintes passos: Início  Os Seus Serviços  Entregar  Declarações  Atividade  Início de Atividade. Se optar pela via online deverá aguardar pelo código de fiabilidade, que será enviado pelo Fisco para a morada fiscal que consta no seu cartão de cidadão. Posteriormente, deve escolher qual o regime de tributação que melhor se adequa à sua situação: simplificado ou contabilidade organizada. Somente após todo o processo estar finalizado é que é possível emitir um recibo verde. Com o intuito de ajudá-lo nesta tarefa , o ComparaJá.pt elaborou para o Forma-te o infográfico abaixo. Fique a saber como se preenche um recibo verde em apenas cinco passos:

PT IG ReciboVerde formate

Comunicação da base de incidência e da taxa contributiva

segurancasocialTrabalhadores Independentes - Comunicação da base de incidência e da taxa contributiva

24-11-2015| ISS

Processo de notificação obrigatória aos Trabalhadores Independentes
Está a decorrer o processo anual de notificação dos Trabalhadores Independentes, por correio eletrónico e por carta, para comunicar o rendimento relevante, a base de incidência e a taxa contributiva desses mesmos trabalhadores, bem como a contribuição a pagar no mês de dezembro, relativa ao mês de novembro.


O rendimento relevante é apurado em função dos rendimentos declarados no ano anterior (ano de 2014) à administração fiscal, de uma das seguintes formas:

Pelo coeficiente de 70% do valor total de prestação de serviços;
20% dos rendimentos associados à produção e venda de bens;
20% do valor total dos serviços e/ou produção e venda de bens no âmbito de atividades hoteleiras e similares, restauração e bebidas;
Pelo valor do lucro tributável, quando este seja de valor inferior ao critério referido anteriormente, sempre que os trabalhadores estejam abrangidos pelo regime de contabilidade organizada.
Após o apuramento do rendimento relevante com base nas declarações fiscais de IRS e Anexo SS, caso o Trabalhador Independente pretenda efetuar o pedido de alteração de escalão deve fazê-lo através da Segurança Social Direta.


O Trabalhador Independente pode pedir com o pedido de alteração de escalão que lhe seja aplicado outro escalão de entre os dois escalões imediatamente inferiores ou superiores ao que lhe foi fixado.


Exemplo: Se tiver sido fixado o 5º escalão, o Trabalhador Independente pode escolher o 3.º, 4.º, 6.º ou 7.º escalão.


Exemplo: Se tiver sido fixado o 2º escalão pelo valor do lucro tributável, o Trabalhador Independente só pode escolher o 3.º ou 4º escalão, não podendo escolher escalão inferior ao 2º.


Se o Trabalhador Independente estiver abrangido pelas disposições transitórias e se pretender que lhe seja aplicado outro escalão, tem de renunciar às mesmas conforme indicado nas Instruções de Acesso ao Serviço Segurança Social Direta.


Se for fixado oficiosamente ao Trabalhador Independente uma base de incidência contributiva correspondente a 50% do valor do IAS, e se pretender ficar posicionado no 1º escalão, pode renunciar a essa fixação oficiosa, conforme indicado nas Instruções de Acesso ao Serviço Segurança Social Direta.


Se o Trabalhador Independente não concordar com a base de incidência contributiva que lhe foi comunicada, poderá reclamar através da minuta própria e enviá-la pela da Segurança Social Direta ou entregá-la nos serviços de atendimento presencial.


Poderá igualmente utilizar a minuta de reclamação caso tenha sido fixado oficiosamente ao trabalhador independente uma isenção da obrigação de contribuir por pagamento de contribuições pelo período de um ano resultante de rendimento relevante igual ou inferior a 6 X IAS, e pretender cessar essa isenção e ficar posicionado no 1º escalão, e/ou, pretender ainda que lhe seja considerado outro escalão de entre os dois escalões imediatamente inferiores ou superiores ao que lhe foi fixado.

Fonte: Segurança Social

 
Consulte:

Incentivar a aprendizagem de adultos

cedefopNOTA INFORMATIVA CEDEFOP, Julho 2015
Incentivar a aprendizagem de adultos
Apesar das melhorias, a aprendizagem de adultos ainda precisa de se
tornar mais atrativa, inclusiva, acessível e flexível

Educação de adultos: mais atrativa?

O parâmetro de referência da UE para a aprendizagem ao longo da vida indica que a aprendizagem de adultos não está a conseguir tornar-se mais atrativa. O parâmetro de referência, avaliado no inquérito às forças de trabalho (IFT), indica que, até 2020, 15 % dos adultos com idades compreendidas entre os 25 e os 64 anos deveriam estar a participar em ações de aprendizagem ao longo da vida. Contudo, os dados revelam que a participação sofreu uma redução de 9,3 %, em 2007, para 9 %, em 2012. Os aumentos para 10,5 %, em 2013, e 10,7 %, em 2014, devido a uma mudança estatística, não são comparáveis com os anos anteriores e, de qualquer forma, situam-se bastante abaixo dos objetivos. Faça download da Nota Informativa AQUI