Formação de professores eficaz

Conclusões do Conselho, de 20 de maio de 2014, sobre uma formação de professores eficaz: Num mundo em rápida mutação, o papel dos professores — e as expectativas neles depositadas — vão mudando também, uma vez que os professores enfrentam os desafios das novas competências exigidas, a rápida evolução tecnológica e o aumento da diversidade social e cultural, bem como a necessidade de dispensar um ensino mais personalizado e de prover a necessidades educativas especiais. A melhoria dos programas de formação de professores e dos processos de recrutamento exige a identificação prévia das competências profissionais necessárias aos professores nas diferentes fases das suas carreiras. Podem ser utilizados quadros de competências profissionais para elevar os padrões de qualidade, definindo os conhecimentos, as competências e as atitudes que os professores, inclusive nos domínios do ensino e formação profissionais (EFP) e da educação de adultos, deveriam possuir ou adquirir. Do mesmo modo, os formadores de professores que preparam os professores para desempenharem as suas tarefas podem beneficiar de quadros deste tipo.

O Conselho, convida os Estados-Membros e a Comissão a:

1. Utilizarem da melhor forma as estruturas do «EF 2020» ao abrigo do método aberto de coordenação
(MAC) para reforçar a definição de políticas baseadas em elementos concretos, e desenvolver e difundir
práticas de sucesso em matéria de:
— programas eficazes de formação de professores, com destaque para a formação inicial de professores
e para a introdução das abordagens colaborativas no ensino,
— desenvolvimento profissional de formadores EFP nas empresas, dado o seu papel fundamental na reali
zação de estágios de elevada qualidade e noutras formas de aprendizagem no trabalho,
— reforço da pertinência dos currículos dos cursos de formação de professores e das competências profis
sionais de professores e formadores, em colaboração mais estreita com os empregadores, incluindo
empresas, quando adequado... Documento Completo

Investir nas competências graças a um ensino e formação eficientes e inovadoras

Conclusões do Conselho de 24 de fevereiro de 2014 "Investir nas competências graças a um ensino e formação eficientes e inovadoras": O ensino e a formação desempenham um papel estratégico no apoio à recuperação económica na Europa. Estes sistemas, além de darem um contributo essencial para promover a coesão social e a cidadania ativa, contribuem consideravelmente para a geração de um crescimento inteligente, inclusivo e sustentável, para o aumento da competitividade e da empregabilidade, bem como para o aumento da produtividade e da inovação. Importa ainda referir dois aspetos pertinentes destas Conclusões do Conselho. O primeiro é o facto de que um em cada cinco membros da população em idade ativa da UE tem poucas competências em leitura e cálculo, situação que limita seriamente a sua empregabilidade. O segundo refere-se por um lado, às limitações de muito alunos no acesso à tecnologia e aos conteúdos digitais necessários para desenvolverem essas competências digitais e por outro lado, à existência de um número elevado de adultos sem quaisquer competências digitais. Esta situação revela-se problemática na medida em que todas as previsões sugerem que quase todos os empregos no futuro exigirão, pelo menos, competências digitais básicas.

Programas Europeus e instrumentos financeiros

2014-11-21 11-59-17eurocidPoderá aceder a todos os instrumentos e programas europeus do quadro financeiro plurianual em vigor. Conheça os regulamentos, os sítios web e/ou as páginas nas redes sociais disponíveis. O Quadro Financeiro Plurianual (QFP) abrange sete anos entre 2014-2020 e está projetado para uma União Europeia constituída por 28 Estados-Membos. Este novo conjunto de instrumentos e programas caracteriza-se pela tónica nos resultados, pela simplificação da aplicação e por um maior recurso à condicionalidade. Os resultados estão relacionados diretamente com a Estratégia Europa 2020 e com a prossecução dos seus objetivos. Tal implica centrar os programas num numero limitado de prioridades e ações de grande relevância o que obrigou a fusão de programas já existentes. Ver todos os programas europeus e instrumentos financeiros AQUI